Precisamos superar o debate sobre os “robôs do Bolsonaro”

Superem nesse momento o debate pautado por “com robôs” ou “sem robôs” na rede bolsonarista. A lógica é simples: um robô, bot ou perfil com comportamento automatizado cumpre um papel que só se desenrola por completo quando encontra o eco de seu discurso entre outros usuários.

Mensagens replicadas de forma desordenada são cada vez mais nítidas

A “eficácia” de um robô reside em outros usuários se depararem com estes tweets e, assim, compartilharem o conteúdo e interagirem com ele. Nessa linha pouco importa se quem originou o conteúdo é real ou não: fato é que o conteúdo foi absorvido e replicado por outros usuários. Isso torna a queda nas redes bolsonaristas ainda mais interessante: ainda que os robôs continuem ativos, os usuários não se identificam mais com o conteúdo disseminado por eles. Portanto sua eficácia fica comprometida.

Enfim: para além da presença de robôs, fato é que o discurso bolsonarista hoje, nas redes sociais online, encontra cada vez mais dificuldade para ser assimilado entre os usuários e, assim, disseminado.