A invasão da Câmara por grupos ultradireitistas

Na semana passada (16/11), um grupo de pessoas invadiu a Câmara para cobrar uma “intervenção militar” e pedir “um general aqui”. O tema, nas redes, foi tratado de forma até mesmo irônica por boa parte dos clusters progressistas.

No entanto, é impossível não lembrar de um outro evento que também foi, em um primeiro momento, tratado com extrema ironia por parte dos grupos progressistas: o impeachment de Dilma.

invasao-da-camara

Agora, seis dias após a invasão da Câmara, o que se vê [cluster verde] é um misto de apoio aos invasores e comparação com as ocupações nas escolas (como se pedir intervenção militar estivesse no mesmo nível de pedir investimentos em educação). Aqui, ninguém atacou de forma direta os invasores, mas sim tentaram justificar o injustificável.

Enquanto isso, a esquerda e as redes progressistas [cluster amarelo] se ocupam, mais uma vez, em apenas ironizar o que julgam ser lunáticos, representados principalmente pela “cidadã que criticou a bandeira do Japão”.