Dória e a fantasia de gari que esconde o aumento da tarifa no transporte público

Realizei uma coleta entre os dias 02/01 e 10/01/17, com os termos “João Dória” e “Dória”. Eliminadas diversos temas alheios ao objetivo inicial da coleta, restaram um total de 88.003 ocorrências capturadas no Twitter.

Em artigo publicado pelo El País na última segunda-feira,  Eliane Brum analisa o livro citado por João Dória em sua posse: As 48 Leis do Poder de Robert Greene. Foi de lá que ele retirou a 28ª lei citada durante o discurso. Assim, a autora do artigo chama atenção para três “leis” específica do livro citado, a 12ª, 17ª e a 27ª:

12ª: “Um gesto sincero e honesto encobrirá dezenas de outros desonestos. Até as pessoas mais desconfiadas baixam a guarda diante de atitudes francas e generosas. (…) Uma vez que a sua honestidade seletiva as desarma, você pode enganá-las e manipulá-las à vontade (…)”.

17ª: “Mantenha os outros em um estado latente de terror. Cultive uma atmosfera de imprevisibilidade. Os homens são criaturas de hábitos, com uma necessidade insaciável de ver familiaridade nos atos alheios. A sua previsibilidade lhes dá um senso de controle. Vire a mesa: seja deliberadamente imprevisível. O comportamento que parece incoerente ou absurdo os manterá desorientados, e eles vão ficar exaustos tentando explicar seus movimentos. Levada ao extremo, esta estratégia pode intimidar e aterrorizar”.

27ª: Jogue com a necessidade que as pessoas têm de acreditar em alguma coisa para criar um séquito de devotos. As pessoas têm um desejo enorme de acreditar em alguma coisa. Torne-se o foco desse desejo oferecendo a elas uma causa, uma nova fé para seguir. Use palavras vazias de sentido, mas cheias de promessas (…) Dê aos seus novos discípulos rituais a serem cumpridos, peça-lhes que se sacrifiquem por você”.

Assim, levando a sério a “dica de leitura” de nosso atual prefeito levantamos uma hipótese a ser testada pela análise de redes sociais online: por trás das aparições “performáticas” do recém-empossado prefeito de São Paulo, João Doria, estaria uma tática de abafar o aumento das passagens do transporte público na cidade?

doria-primeira-semana-de-doria

Após a coleta foi formado o grafo retratado acima onde o cluster azul é reconhecidamente um agrupamento de apoio ao atual prefeito e tem em @jdoriajr e @MBLivre, principalmente, seus principais expoentes.  Já o cluster amarelo é formado por apoiadores do antigo prefeito, Fernando Haddad, além de usuários progressistas/esquerda que tem uma atividade intensa no Twitter. Por fim, o cluster verde, presente no centro do grafo, é formado principalmente por usuários de imprensa como @folha, @JornalOGlobo, @Estadao, @G1, @valor_economico, @VEJA, entre outros.

A ideia central aqui é simples: analisar as nuvens de palavras para entender qual a importância dada para as “aparições” do prefeito e compará-las à questão do aumento da tarifa que, nos últimos quatro anos teve importante peso no debate político municipal durante o primeiro semestre.

Cluster Amarelo:

Nesse cluster o alvo principal foi a “fantasia” de João Dória, o gari. Ele (o prefeito) ainda recebeu diversos ataques e acusações de “higienista” pela expulsão de pessoas em situação de rua do local onde ele promoveria a ação “SP Cidade Linda”.

Em escala decrescente, os principais assuntos dentro desse cluster foram: João Dória vestido de Gari, Aumento da Tarifa, Aumento da Velocidade nas Marginais e Janaína Paschoal como fiscal de banheiros do Ibirapuera.

word-cloud

Cluster Azul:

Aqui o principal objeto das ocorrências foi, também, a “fantasia” de João Dória. Para além de alguns ataques contra o populismo do ato, a maior parte dos usuários aqui buscou defender o prefeito em contraponto à ações promovidas pelo ex-prefeito Fernando Haddad (tocar guitarra, grafitar…), Suplicy, Obama, entre outros.

Em escala decrescente, os principais assuntos dentro desse cluster foram: João Dória vestido de Gari, filho de Pimentel embriagado usando helicóptero oficial, comparações com Haddad, Suplicy, Obama, entre outros e cortes em contratos e cargos comissionados anunciados pelo prefeito.

word-cloud-1

Cluster Verde:

No cluster formado pela imprensa paulistana, o foco principal foi também na ação de Dória fantasiado de Gari. No entanto, outros temas como a proposta do “Grafitódromo”e a “lei Soninha” contra atraso de secretários, por exemplo. No entanto não só de elogios foi a primeira semana do prefeito na imprensa: duas matérias tiveram forte repercussão negativa para João Dória. A primeira foi a notícia de que o local onde João Dória protagonizou o lançamento do programa “SP Cidade Linda” havia sido limpo previamente para que ele pudesse apenar encenar o ato. A segunda relatou o fato de o carro do Prefeito ter estacionado em local proibido durante ação da CET na cidade de São Paulo.

Aqui, bem como no cluster azul, o tema tarifa foi preterido por outros temas.

Em escala decrescente, os principais assuntos dentro desse cluster foram: João Dória vestido de Gari, Limpeza prévia do local onde Dória lançou o programa “SP Cidade Linda”, Proposta de Grafitódromo, Carro oficial do prefeito parado em local proibido e multa para secretários que chegassem atrasados.

word-cloud-2

Considerações

Enquanto usuários de esquerda/progressistas ocupam seu tempo – e timelines – atacando as fantasias do atual prefeito, João Dória, usuários de direita/conservadores ignoram o aumento das tarifas do transporte público paulista e paulistano, com o apoio – e silêncio – da imprensa paulistana que, de forma sagaz, alterna pautas positivas e pseudo-polêmicas em suas notícias.

Assim, diferentemente de anos anteriores, em especial após os acontecimentos que marcaram o primeiro semestre de 2013 por todo o Brasil, a pauta do transporte público vem sendo renegado ao segundo plano do debate político paulistano.