Baixo engajamento e falta de coesão bolsonarista em cenário pós-prisão de Queiroz

O bolsonarismo (1) foi, hoje, extremamente pífio em comparação até mesmo o período recente ficando com menos de 18% do total dos usuários analisados. E talvez o mais curioso: para além do baixo volume de usuários o baixíssimo nível de conexões entre as contas bolsonaristas.

Imagem

Uma das características centrais do agrupamento bolsonarista é o volume frenético de produção de conteúdo. Como comparação, dias atrás publiquei uma análise aqui onde a relação usuários/conexões estava em 1,77. Hoje, essa relação caiu para 1,29.

Basicamente os bolsonaristas não se mobilizaram hoje como de costume. Uma hipótese é a falta de uma linha argumentativa central e de ordens bolsonaristas. Porém, outra hipótese que circula é: parte do bolsonarismo começa a encarar Bolsonaro como “frouxo”.

No mais, o agrupamento identificado com nº 2 representa o que seria um lavajatismo minguado, sofrido, que recebe massagem cardíaca diariamente de parte da imprensa e, ainda assim, não vinga e dificilmente conseguirá em um futuro próximo se colocar como oposição ao bolsonarismo.

O agrupamento laranja é de forma grosseira formado por lideranças politicas, principalmente do PT e PSOL nesse momento. Vão entrar aqui também blogs de esquerda e outros veículos da imprensa tradicional que foram expelidos dos agrupamentos bolsonaristas pós 2016.

O agrupamento azul é o que nesse momento mais dificulta a polarização tão desejada por Bolsonaro em qualquer embate político: são perfis que não se encaixam no discurso de “comunistas petralhas”, possuem pautas diversas mas se unem pelo repúdio ao bolsonarismo.