3.5 milhões de interações em 48 horas: a rede de ataques ao Felipe Neto no Facebook

O volume assusta – ainda mais se considerarmos que são apenas 48 horas. Nelas, foram mais de 477 grupos e páginas ativados por conteúdos que tinham um único objetivo: atacar Felipe Neto. Enquanto o próprio Felipe Neto denunciava o volume absurdo de vídeos que o atacavam, um volume tão impressionante quanto esse de links, notícias falsas e matérias sensacionalistas circulava por entre grupos do Facebook.

Essa ofensiva gerou resultados impressionantes: foram mais de 3.5 milhões de interações geradas nesse curto período. O alvo principal desses conteúdos foram grupos do Facebook (76,52%) em detrimento de páginas públicas (18,45%), o que dificulta consideravelmente o monitoramento e a suspensão de perfis que publiquem qualquer tipo de conteúdo calunioso.

rede formada por páginas e grupos que veicularam ataques e críticas ao Felipe Neto nas últimas 48 horas

O perfil das páginas e grupos também não é surpresa para ninguém. As palavras mais usadas nos nomes dos grupos são Bolsonaro, Brasil, Aliança, Presidente, Apoio, Direita, Jair, Deus e Pátria. Já entre as páginas os termos mais comuns são Brasil, Direita, Bolsonaro, Aliança, Frases, News e Notícias.

termos mais utilizados nos nomes de grupos e páginas utilizados para veicular as notícias analisadas

Em suma, não é necessário uma análise muito mais profunda para entendermos a hipótese que se desenha aqui. Felipe Neto foi e está sendo alvo de uma ofensiva coordenada, muito bem articulada e com um potencial significativo.

PROPOSTA: Foram analisadas as 20 notícias com maior circulação nas redes sociais online durante os dias 27 e 28/julho envolvendo o nome de Felipe Neto. A partir dessa coleta foram analisadas, individualmente, por onde essas notícias teriam circulado no Facebook.